Como as áreas verdes urbanas contribuem para a qualidade de vida do local?

4 minutos para ler

Inúmeras pesquisas apontam que o cinza das grandes cidades afeta nossa qualidade de vida e nossa saúde, desencadeando doenças pulmonares, cardíacas e psicológicas. Não é para menos, já que vivemos em meio à poluição atmosférica e sonora e estamos em um movimentado e atribulado cotidiano.

A prevenção para esses problemas não parece tão complexa. Cientistas recomendam incorporarmos o contato com a natureza em nossa rotina. Mas como fazer isso vivendo no caos urbano? As áreas verdes urbanas podem ser a resposta.

Áreas verdes urbanas são locais, em meio à cidade, onde se encontra um conjunto de vegetação, desde arbóreas até rasteiras. Esses locais vão além da beleza, já que o verde melhora a condição atmosférica, inibe a retenção de calor e reduz as enchentes.

Você já sabe que áreas verdes urbanas estão relacionadas com a qualidade de vida, mas conhece os principais benefícios? Continue a leitura e descubra!

Combate à poluição

Segundo uma pesquisa do Instituto Saúde e Sustentabilidade, só na cidade de São Paulo temos 4,6 mil vítimas da má qualidade do ar. Isso não aconteceria se o município tivesse maiores áreas verdes.

Coberturas vegetais são apropriadas para neutralizar os efeitos da poluição em razão da capacidade de absorver e filtrar o ar, o que elimina parte de elementos tóxicos lançados na atmosfera, como enxofre e manganês. A consequência é a diminuição de pessoas com doenças respiratórias.

Reduz enchentes e erosões

A maior responsável pelas enchentes urbanas é a impermeabilidade, ou seja, solos cobertos por asfalto, concreto e outros materiais nos quais a água não penetra. Ao aumentar a incidência de áreas verdes, aumentamos também a área de solo permeável, onde a água da chuva pode penetrar e seguir para os lençóis freáticos, impedindo inundações.

As árvores, especificamente, também são aliadas contra as enchentes, já que suas folhas e troncos retêm parte da água da chuva. Ao mesmo tempo, suas copas fracionam a precipitação, a qual não atinge diretamente o solo, reduzindo o impacto e, assim, a erosão.

Aumenta o bem-estar

Um estudo realizado por Kristen Malecki, professora de Ciências da Saúde da População na Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, comprovou que habitantes de bairros com menos de 10% de área arborizada são mais vulneráveis à depressão e ao estresse. A pesquisa contou com a entrevista de 2,5 mil pessoas de 229 bairros.

O motivo de áreas verdes trazerem benefícios psicológicos e mentais é o belo ambiente criado, o qual estimula o convívio social e a prática de atividades físicas. Além disso, o habitante pode se afeiçoar ao espaço, passando a regar e cuidar da vegetação, o que, para muitos, é considerado uma terapia.

Regula a temperatura

Qualquer tipo de vegetação passa por um processo chamado “evapotranspiração”, o qual libera vapor d’água para a atmosfera, aumenta a umidade e ajuda a baixar a temperatura. As copas das árvores também são de grande ajuda, já que refletem radiação solar e criam sombras.

A diferença de temperatura em um bairro arborizado pode chegar a 4ºC, o que afeta diretamente o corpo humano. Isso porque, em ambientes muito quente, o organismo busca a compensação térmica, causando vários problemas, como desidratação e fadiga.

Os benefícios das áreas verdes urbanas não param por aí. O resultado visual e a valorização estética são incríveis! Se você gosta de estar perto da natureza, a melhor opção para sua família é morar em um bairro planejado. Os profissionais responsáveis por esse tipo de empreendimento são comprometidos em causar o menor impacto possível ao meio ambiente e utilizam os recursos naturais de modo responsável.

Gostou dessa ideia? Quer saber mais? Então, descubra exatamente o que é um bairro planejado! Boa leitura!

Você também pode gostar

Deixe um comentário